Crianças

Depressão Infantil: Sinais e Sintomas

Criança Triste

A depressão infantil é uma condição grave que pode ter um impacto significativo no desenvolvimento e bem-estar da criança. É importante que os pais estejam cientes dos sinais e sintomas, para estarem alerta e conhecerem os tratamentos e medidas de prevenção da depressão infantil, para poderem garantir que os seus filhos recebam o cuidado e apoio de que precisam.

Se suspeitar que o seu filho apresenta sinais/sintomas de depressão, é importante que procure ajuda médica para avaliar e tratar o problema o mais cedo possível.

O que é a depressão infantil?

A depressão não têm idades, ao contrário do que se pensava, as crianças também podem sofrer de depressão.

A depressão infantil é um transtorno mental que afeta crianças e adolescentes e caracteriza-se por um humor deprimido ou triste persistente, perda de interesse ou prazer em algumas atividades que costumavam ser divertidas e alterações no comportamento.

A pedopsiquiatra Isabel Carvalho do Hospital Lusíadas, explica de forma sucinta o que é a depressão infantil: “Tal como acontece com os adultos, a depressão da criança envolve essencialmente alterações ao nível do humor e o desenvolvimento de sentimentos de auto-desvalorização com consequências para si própria e adaptação ao meio envolvente, que podem ser mais ou menos graves”.

O quadro depressivo nas crianças pode se manifestar de diferentes formas, como humor irritável, instabilidade ou agitação psicomotora, comportamentos de oposição ou queixas somáticas, como dor de cabeça e/ou dor abdominal.

Causas da depressão infantil?

As causas da depressão infantil podem ser complexas e incluir uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos. 

Deixamos aqui alguns fatores de risco para a depressão infantil:

  • Histórico familiar de depressão
  • Falta de apoio social
  • Problemas de relacionamento
  • Stresse ou eventos traumáticos: como, por exemplo, separação ou divórcio dos pais, perda de um familiar, abuso ou negligência
  • Doenças médicas ou condições de saúde crónicas
  • Falta de estabilidade no sei familiar e / ou escolar

Sinais e sintomas de depressão infantil

Os sintomas de depressão infantil podem por vezes confundir-se com outras doenças, como, por exemplo, a Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA). É importante que os pais não descurem os sinais de alerta e estejam atentos a alguns sintomas que possam surgir.

Aqui ficam alguns sinais e sintomas que deve ter em conta:

  • Mudanças no comportamento ou humor: a criança pode ficar mais irritada ou chorosa do que é normal, ou pode perder o interesse em algumas atividades que costumava gostar.
  • Alterações no sono: a criança pode apresentar algumas alterações no padrão de sono, como: ter dificuldade em dormir ou dormir demais.  
  • Alterações de apetite: pode notar no seu filho uma perda ou aumento de apetite.
  • Dificuldades de concentração: pode sentir que o seu filho começa a ter dificuldades em se concentrar na escola ou em tarefas domésticas.
  • Baixa autoestima: a criança pode desenvolver uma baixa autoestima e sentimento de culpa.
  • Isolamento social: a criança pode isolar-se, principalmente na escola, preferir brincar sozinha.
  • Fadiga: pode sentir o seu filho mais cansado, com falta de energia.
  • Queixas somáticas: como dores de barriga e/ou de cabeça.
  • Falta de concentração: que pode originar uma diminuição do rendimento escolar.

Diagnóstico de depressão

As crianças têm mais dificuldade em exprimir o que sentem, pelo que o diagnóstico se torna mais complicado. É importante observar e avaliar a duração, frequência e intensidade dos sintomas, e ouvir os relatos dos pais e de outros cuidadores da criança e confirmar se ela teve alguma experiência traumática ou problemas relacionais que possam estar contribuído para o aparecimento dos sintomas.

O diagnóstico deve ser efetuado por especialistas (pedopsiquiatra) que vai considerar os sintomas apresentados e os resultados de testes de avaliação do humor da criança e do impacto dos sintomas na vida da criança e da família. Estes testes podem incluir análise de desenhos feitos pela criança e questionários específicos para avaliar a presença de depressão infantil.

Tratamento da depressão infantil

O tratamento da depressão infantil passa por fazer psicoterapia, mas em casos mais graves pode ser necessário o recurso a medicamentos, como antidepressivos e estabilizadores de humor.

O acompanhamento profissional é fundamental para o planeamento de um tratamento psicoterapêutico adequado para a criança. Além disso, existem várias maneiras de apoiar crianças com depressão, incluindo mudanças no comportamento em casa e obtendo informações sobre o transtorno, para que possa identificar o mais cedo possível e pode ajudá-la.

Como podemos ajudar a criança em caso de depressão?

Existem várias maneiras de ajudar o seu filho, caso este seja diagnosticado com depressão. Ficam aqui algumas dicas:

  1. Oferecer apoio e compreensão: Mostre que se preocupa e que está disponível para ajudar.
  2. Encorajar a criança a falar sobre os seus sentimentos: permitir que a criança expresse os seus pensamentos e emoções pode ajudá-la a lidar melhor e de maneira mais saudável com eles.
  3. Manter uma rotina regular: Manter uma rotina regular pode ajudar a criança a se sentir mais segura e menos stressada.
  4. Praticar atividades que lhe tragam prazer: encorajar a criança a fazer atividades que goste, como, por exemplo: desenhar, ler ou brincar.
  5. Incentivar a prática de exercício físico: O exercício físico pode ajudar a aliviar o stresse e a melhorar o humor.
  6. Garantir que receba o tratamento adequado: é importante que a criança seja acompanha por um pedopsiquiatra e que siga todas as recomendações.
  7. Evite críticas e julgamentos: é importante que evite críticas ou julgamentos negativos, pois isso pode agravar a depressão. Em vez disso, tente demonstrar o seu apoio e compreensão.

Sobre o autor

Avatar photo

lpereira

Licenciada em enfermagem desde 2009, com uma vasta experiência na área em vários países, como: Portugal, França e Suíça. Mãe de uma menina desde 2018, os desafios da maternidade e a minha paixão pela escrita motivou-me a partilhar os meus conhecimentos e experiências com outras mães e com futuras mamãs.